A diferença entre “atualizar redes sociais” e ter uma estratégia de marketing digital

Todo mundo está na internet e os negócios acontecem cada vez mais no ambiente online. Mas quando alguém pergunta se sua empresa possui uma estratégia de marketing digital, o que você responde: “não, ainda não” ou “sim, já usamos redes sociais”?

Seja qual for sua resposta, seu problema é o mesmo. Duvida?

Não é de hoje que os negócios acontecem na internet. As redes sociais, como o Facebook, o Twitter e o Instagram, têm grande parcela nisso. Foram as redes que transformaram o meio digital para que o público também fosse protagonista, participando ativamente com posts próprios, comentários e curtidas.

Mas, por mais importante que seja o papel das redes sociais, só com elas sua empresa não tem uma estratégia digital. Tem, na verdade, uma parte fundamental no processo que é o conteúdo que atrai o público para dentro do chamado funil de vendas, onde cada pessoa pode ser visitante, lead (contato), oportunidade ou cliente. Ou seja, as redes sociais são meio e não fim numa estratégia de marketing digital. Se são meio, para onde você quer levar seus clientes?

Há quem consiga fazer conversão em vendas dentro das redes sociais. Mas isso não é para qualquer produto ou serviço e certamente exigirá um reforço no orçamento para emplacar campanhas vendedoras dentro do Facebook, por exemplo. Por isso, o recomendado é pensar numa estratégia completa de marketing digital incluindo não apenas a atualização das redes sociais, mas também:

  • Site responsivo apresentando informações sobre o negócio com clareza e fácil de encontrar e acessar;
  • Blog com publicação frequente de posts de utilidade para o público, ensinando, desvendando problemas, compartilhando soluções;
  • E-mail marketing com gestão de leads via ferramentas como RD Station para criar rotina de relacionamento e automação de marketing com fluxos que façam o cliente estar “conectado” à empresa e avançando na jornada de compra;
  • E-books e outros materiais educativos (infográficos, webinars…) que possam ajudar a converter visitantes em leads quem está em busca de aprendizado e encontra na empresa uma referência ou autoridade na área.

Além disso, a estratégia de marketing digital inclui ainda investir em ações de encontrabilidade. Isso significa decidir, entre outras coisas, por utilizar ferramentas como o WordPress, por exemplo. O WP é um publicador referência para a criação de sites e blogs justamente por facilitar, via plugins e outras ações, o trabalho de SEO (Search Engine Optimization – Otimização para Mecanismo de Busca). É com a gestão de SEO, aplicada ao canal digital e ao conteúdo publicado, que um site ou blog ganha mais chances de aparecer em destaque nas buscas do Google.

Mas precisa mesmo de toda essa presença digital para ter uma estratégia de marketing digital?, você pode estar se perguntando. Se quiser ir além da atualização de redes sociais, com certeza. Claro que a frequência e o volume do que é produzido (postagens no blog, nas redes sociais, email marketing, fluxo de automação etc) pode variar de acordo com as características do negócio e o momento econômico da empresa. De qualquer modo, pense se é possível ter hoje em dia um site ou blog que não abre corretamente no smartphone ou que não é “encontrável” pelo Google. Se ainda duvida, espie a concorrência.

Ou, se preferir, entre em contato com a Infomídia e saiba como tirar o máximo proveito de uma estratégia de marketing digital, como neste case de inbound marketing que publicamos aqui no blog.


Rolar para cima